Fim de ano é a época das já tradicionais especulações no futebol brasileiro. Pensando nisso fiz uma lista com as maiores contratações FURADAS da história de nosso futebol, desde os boatos, até os acordos que não deram certo. Deixei algumas “quase contratações” recentes de fora da lista como Anelka no Atlético / MG ou Drogba no Corinthians, mas me recordei de outras clássicas da década de 90.

Diego Maradona visitando a Vila Belmiro (Foto extraída do site ocuriosodofutebol.com.br)

Diego Maradona visitando a Vila Belmiro. (Foto extraída do site ocuriosodofutebol.com.br)

  • Maradona no Santos em 1995. “Depois da volta do Romário para o Brasil, nada melhor que o Maradona no Santos!” Essa frase foi dita por nada mais nada menos que Pelé! À época, o empresário Edson Arantes do Nascimento (o próprio Rei do futebol) era ligado à Unicor, empresa de saúde que patrocinava o Santos. Essa empresa (que iria a falência anos depois), junto com a Pelé Sports & Marketing, realmente tentou trazer o meia argentino para cá. Na ocasião ele estava suspenso devido ao doping na Copa do Mundo de 1994. A conversa até que avançou, mas na hora H, Diego preferiu voltar para a casa, o Boca Juniors.
Montagem de Shevchenko com a "camisa" do Santo André (Arte do site todofutebol.com)

Montagem de Shevchenko com a “camisa” do Santo André. (Arte do site todofutebol.com)

  • Shevchenko no Santo André: Em meados de 2010, a notícia mais falada na região do ABC em São Paulo era sobre a possível chegada de Andriy Shevchenko, consagrado atacante ucraniano, para defender o Santo André. Obviamente, Sheva não desfilou seu futebol no Bruno José Daniel, pois tudo não passava de uma brincadeira do torcedor Léo Rossatto, que chegou a ser repercutida em vários sites (uma típica BOGOTÁ NEWS).
Michel Preud'Homme defendendo a Bélgica na Copa de 1994. (Foto: Terceiro Tempo / BOL)

Michel Preud’Homme defendendo a Bélgica na Copa de 1994. (Foto: Terceiro Tempo / BOL)

  • Michel Preud’Homme no Fluminense: Atordoado por três rebaixamentos seguidos, entre 1996 e 1998, o Fluminense tentava se reforçar de qualquer maneira e chegou a sondar vários jogadores estrangeiros para tentar se reerguer em 1999; o goleiro belga Michel Preud’ Homme e o volante italiano Nicola Berti já estavam em fim de carreira e até vieram ao Rio de Janeiro. Passear! O arqueiro até deu entrevistas falando da chance de jogar no Flu, mas o negócio não se confirmou. O volante e meia espanhol Guti, aquele mesmo que atuou no Real Madrid na década de 2000, iniciava a sua carreira e também foi especulado, mas não se arriscou a jogar a terceirona brasileira.
Batistuta com a camisa do Flamengo? Só em sonho...(Arte feita pelo jornal Lance!)

Batistuta com a camisa do Flamengo? Só em sonho…(Arte feita pelo jornal Lance!)

  • Batistuta no Flamengo (mas poderia ser Seedorf, Rincón, entre outros; todos na gestão Kléber Leite). Entre 1995 e 1998, o ex-radialista Kléber Leite foi presidente do Flamengo e contratou mais de 100 jogadores para o rubro-negro; se dependesse das especulações, porém, poderiam ter sido muitos mais. A mais notória foi a que dava conta da chegada do centroavante argentino Batistuta, o que obviamente não se concretizou.
Riquelme, jogando pelo Boca Jrs., na decisão da Libertadores de 2007 contra o Grêmio (Foto: Getty Images)

Riquelme, jogando pelo Boca Jrs., na decisão da Libertadores de 2007 contra o Grêmio. (Foto: Getty Images)

  • Riquelme, em qualquer época, para qualquer time brasileiro que perde a Libertadores: Seu time já foi eliminado na Libertadores para algum time argentino, preferencialmente o Boca Juniors? Se foi, muito provavelmente você deve ter ouvido que Juan Roman Riquelme “era o sonho de consumo” dessa equipe… Esse papo aconteceu em tantas oportunidades, sem nunca ir para lugar nenhum, que até perdi a conta…
Renato Gaúcho e a sua "falsa" apresentação no São Paulo em 1997 (Foto: Acervo / Gazeta Press)

Renato Gaúcho e a sua “falsa” apresentação no São Paulo em 1997.(Foto: Acervo / Gazeta Press)

  • Renato Gaúcho no São Paulo em 1997: Sem contrato com o rebaixado Fluminense (que havia caído no Brasileiro de 96, mas que não jogaria a Série B naquele ano), Renato Gaúcho aceitou o convite da diretoria do São Paulo para negociar um possível contrato e, quem sabe, ir para o clube do Morumbi; o jogador aceitou também posar próximo à camisa Tricolor e a diretoria são paulina acreditou que estava tudo certo, mesmo com Renato dizendo que poderia ainda ficar no RJ. No fim das contas, não deu outra: depois de alguns dias, o jogador aceitou a contra proposta do Flu e preferiu ficar nas praias cariocas.
Roberto Baggio com a camisa do Brescia, da Itália (Foto: site trivela.com.br)

Roberto Baggio com a camisa do Brescia, da Itália. (Foto: site trivela.com.br)

  • Roberto Baggio no Palmeiras em 1996. Naqueles tempos a Parmalat contratava praticamente quem queria para o alviverde. Em 1995 haviam trazido o atacante Marco Ósio, vindo do Parma (um verdadeiro fiasco). Tentaram mudar o perfil trazendo o craque italiano, mas a história ficou apenas na especulação.
Vagner Love e a sua "meia" apresentação no Corinthians em 2005 (Foto: site meutimao.com.br)

Vágner Love e a sua “meia” apresentação no Corinthians em 2005. (Foto: site meutimao.com.br)

  • Vágner Love no Corinthians em 2005: Espera aí Alexandre, o Vagner Love não jogou no Corinthians? Sim, mas apenas em 2015! 10 anos antes, programas esportivos se deleitaram com a chance do ex-centroavante palmeirense ir para o Parque São Jorge. Até entrevista coletiva foi feita, mas se esqueceram de combinar com os russos (do CSKA) e ele ficou por lá por um bom tempo.
Volante Mancuso chegou a treinar, mas deixou o Galo por falta de acordo financeiro (Foto: Reprodução / TV Globo Minas)

Volante Mancuso chegou a treinar, mas deixou o Atlético / MG por falta de acordo financeiro. (Foto: Reprodução / TV Globo Minas)

  • Mancuso no Atlético/MG em 1998:  Mancuso, volante argentino, ex-Flamengo e Palmeiras, chegou a vestir a camisa do time mineiro, junto com o zagueiro Almandoz, em 1998, mas não chegou a jogar por falta de acordo financeiro, preferindo ir para o Santa Cruz de Recife (onde ficou também por pouquíssimo tempo).
Caixas de som para a festa da volta de Ronaldinho Gaúcho ao Grêmio - o que nunca aconteceu... (Foto: Eduardo Cecconi / globoesporte.com)

Caixas de som para a festa da volta de Ronaldinho Gaúcho ao Grêmio – o que nunca aconteceu… (Foto: Eduardo Cecconi / globoesporte.com)

  • Ronaldinho Gaúcho no Grêmio: Em 2011 as caixas de som foram colocadas a postos no Olímpico, esperando a volta do filho pródigo; porém o irmão dele, Assis, depois de vários churrascos e leilões (que também envolveram o Palmeiras), preferiu levá-lo para o Flamengo.

E você, se lembra de algum boato absurdo ou de possível contratação que deu muito errado? Comente e mande sua lembrança!

E reforço que, no nosso Podcast Dois Tempos, temos o quadro BOGOTÁ NEWS, que fala das mancadas da mídia esportiva e certamente, das especulações furadas do Mercado da Bola!